quinta-feira, maio 30, 2013

Outra carta a Elisa

Leva os gatos. Leva os teus gatos, o Zacarias e o Preto. Não os deixes cá, não me deixes os teus gatos nem as tuas memórias. Nem mesmo aquele cheiro a verão que inundava o corredor de onde nascia a tua casa. Havia sardinhas, caracóis e nêsperas, era uma casa de família e provérbios. Pobre mas honesta, sempre aberta, sempre feliz, ou não fosse Graça. Leva os teus gatos, tia. Que não quero mais passos-entre-passos naquele corredor. Hoje peço apenas silêncio, um sol de fim de tarde e os teus olhos azuis feitos gatos a errar.

terça-feira, maio 28, 2013

Gambozinos


GAMBOZINOS from O SOM E A FÚRIA on Vimeo.

Gambozinos do realizador português João Nicolau ganhou o Prix Illy para melhor curta-metragem na Quinzena dos Realizadores, uma das muitas iniciativas paralelas ao festival de Cannes que ontem à noite anunciou o seu palmarés. 

camõrecer

O vencedor do prémio literário mais importante da criação literária da língua portuguesa é o escritor moçambicano autor de livros como Raiz de Orvalho, Terra Sonâmbula e A Confissão da Leoa . É o segundo autor de Moçambique a ser distinguido, depois de José Craveirinha em 1991. O júri justificou a distinção de Mia Couto tendo em conta a “vasta obra ficcional caracterizada pela inovação estilística e a profunda humanidade”, segundo disse à agência Lusa José Carlos Vasconcelos, um dos jurados. in Público

Há prémios que são justos, galardões que são merecidos, condecorações que são previsíveis. E depois há este: um dos mais justos, merecidos e previsíveis de sempre. Hoje somos todos português, hoje somos todos Mia Couto.

domingo, maio 26, 2013

tens o cavaco que mereces

somos todos estereótipos: eu, tu e o cavaco. não gostas assim tanto de futebol mas vês o jogo de outros, não lês notícias sobre o teu clube mas conheces a página três do jornal o benfica, não queres este presidente mas conheces e discutes tudo. tudo o que não é teu. hoje jogou o benfica, hoje tive um dos melhores dias de bola da minha vida de futebol. foi bom, foi divertido, foi sincero. não troco estes momentos por nada, e, contudo, descubro que não estive só. não falo dos amigos que estiveram ao meu lado na viagem, no transporte dos grelhados, da cerveja ou do estender do pic-nic-descartável, falo apenas dos outros. dos outros, dos que não estiveram lá, dos que não jogaram, nem estavam por nenhuma das equipas. hoje foi um dia lindo, um dia único, um dia especial, porque, felizmente, sei aproveitar estes momentos ao máximo. eu, a mariana, e os meus amigos (mesmo os que estão lá longe). hoje estou feliz. hoje perdi, fiquei lixado, muito,confesso, mas não sou um cavaco. não entro em palhaçadas, não gozo com a tristeza alheia nem digo que não me importo com o outro mas sorrio, rio e não gozo com a derrota alheia. todos têm o cavaco que merecem, sim, o cavaco. portugal é um país de cavacos, vivemos uma terra onde ninguém dá cavaco a ninguém e, todavia, todos olham para o terraço do vizinho. tenho pena. muita. gostava mesmo de viver num sítio onde cada um só pensasse no melhor para si, mas não. hoje sei que tens o cavaco que mereces. pois, então, fica com o cavaco que mereces e eu com o meu dia. obrigado, taça!

sexta-feira, maio 24, 2013

já é domingo de taça?

está uma manhã quente e as pessoas andam pela estação de comboio feitas formigas profissionais. não é lugar comum nem imagem pré-desenhada pelas palavras sábias do meu avô. é domingo de taça, isso sente-se nos sorrisos das crianças, dos novos, dos  velhos e de todos os que não jogam à bola com estas definições. há festa em todo o lado e tenho certeza de que a minha mãe guardou dois sacos de alegria e entusiasmo entre a carne, o gelo e as batatas. palha,  como sempre se comia em casa dos avós. é domingo de taça e o comboio vai cheio, o vermelho varreu as carruagens e o mar, paralelo, lembra-me que o verão está aí. é domingo de taça e não vejo a hora de me rodear de amigos e dizer: que belo bigode, pá!

sábado, maio 18, 2013

sexta-feira, maio 17, 2013

da instabilidade

é uma ausência não forçada, não planeada, não real. é o trabalho que sai borda fora, as noites que seguem dia adentro, as jogatanas que terminam em silêncios. não há derrotas pessoais nem colectivas, não há mais sonhos nem pesadelos. a vida é um lugar comum, onde o que tem de ser é. e tem muita força. é instável esta ausência. é perigosa esta intermitência. e depois há o tempo que insiste em passar, mesmo quando não tenho tempo. são figuras que desaparecem, políticos que não respeitam a pólis, bolas que não entram, músicas que não tocam, e pessoas que não compreendem os tempos que vivemos. hoje estou por aqui, amanhã não sei.

aprovado!

Parlamento aprova co-adopção por casais homossexuais.

quarta-feira, maio 08, 2013

Sir Football

(imagem com autoria não identificada)

É oficial. Alex Ferguson deixa o cargo de treinador do Manchester United, após 26 anos a comandar a equipa inglesa. O anúncio foi feito nesta quarta-feira no site oficial do Manchester United. Ferguson, de 71 anos, conquistou 38 títulos ao serviço do clube inglês, incluindo 13 campeonatos de Inglaterra e duas Ligas dos Campeões. in Público

O jogo da bola faz-se destas figuras, o futebol faz-se de outras. A bola é emoção, loucura, vinho (muito no caso de Alex), paixão e saber; o futebol é outra coisa, envolve mind games, tecnologia, interesses, saber (again). E depois temos Alex Ferguson, a mescla destes dois mundos, destas duas posturas, de ontem e do amanhã. Sim, o amanhã não acabou hoje.


sexta-feira, maio 03, 2013

30 dias tem um mês


ou 31. ou mesmo um pouco mais nalguns casos simbólicos. (re)começou tudo há um mês. há pouco mais do que 30 dias, pouco mais do que um mês. o vinil continua a rodar, o cd a tocar, a música não pára. ontem fez um mês, ontem o benfica ganhou, ontem houve festa. ontem continuou para hoje, a festa e o trabalho. não haverá amsterdão para mim - trabalho a quanto obrigas -, mas não fico triste, há música, há trabalho, há trabalho com música. e recomeça já hoje.