quinta-feira, março 30, 2006

e eu digo 6














- Eu digo 6.
- Não. Se 4 tenho eu. 4 mais 2 tuas, e 1 dele. São 7.
- 4...
- 2...
- Pois é... mas são 8. Qu'aqui 'tão mais duas.
- Todos os cães têm sorte.
- Vá... e vão 3.
- Nã... são 5.
- Isso é muuuito. 4.

Abre as mãos...

- São mesmo 5.
- 'Tás a ver isto. Vê lá se no trabalho te saem destas. É vê-las...
- Isso dizes tu aqui, agora, olha que tu também... 2.
- 2? 3 acredito.
- 1.
- Mas 'tás a jogar com medo?
- Não só que não tenho nenhuma... nem tu... sobra a dele.

Uma de cobre.

- Só com essas pequenas...
- Não, ia ser c'as outras. Olha que já tenho muito tempo disto.
- E eu não sei não...

quarta-feira, março 22, 2006

Part I - Part II C

Um presente rejeitado transformou-se numa das minhas melhores companhias recentemente...

O aclamado e constantemente ouvido chez moi Keith Jarrett tem em The Köln Concert (1975) um dos melhores albuns, talvez a par do Paris Concert e do mais recente Bye Bye Blackbird, com quase uma hora de um improviso brilhante. Com diversas variações sobre um tema desliza por ritmos frenéticos de um jazz pujante e cheio de energia, oiça-se entre os 4 e os 8 minutos da Parte II A.

Que saudades dos seus gemidos... Do seu levantar da cadeira em direcção ao piano...
Um cd a reter... na ECM.

Desculpa-me...

Estive mais tempo fora do que o devido...
Mais escritas longe do que o prometido...
E reencontrar-me aqui... com tanto por escrever... já perdido nos presentes passados...

Vamos retomar!