segunda-feira, janeiro 09, 2006

um Adeus da minha criança

"Gosto de observar Teresa a corrigir os cadernos escolares à luz do candeeiro. Sempre que os disparatados erros dos seus pequenos alunos a fazem sorrir, ela inclina a cabeça sobre o ombro, as pálpebras descem-se-lhe ligeiramente e o rosto ganha uma graça meiga e quente. Talvez no conceito geral Teresa não seja uma mulher bonita:
tem feições pouco regulares, a boca muito carnuda, o nariz comprido demais e quando lhe estremecem as narinas faz lembrar um coelhinho. Mas tudo isso se harmoniza com o corpo esbelto de porte direito, com o pescoço alto, a cabeça estreita, o cabelo dum negro brilhante e espesso que ultimamente junta num puxo arrepanhado na nuca. "
in "Sob céus estranhos"
... também Ilse Losa não era uma mulher bonita, mas tinha um carinho nos olhos, e um amor nas palavras que, felizmente, se manterá eternamente nos seus livros, e nas leituras que pequenos ouvimos antes de adormecer.
Obrigado!

Sem comentários: